Reforma imigratória é incluída no projeto de gastos aprovado pela Câmara

O pacote de reforma imigratória foi incluído no projeto de lei de gastos sociais aprovado pela Câmara por 220 votos a 213. Se o projeto for aprovado pelo Senado no estado em que se encontra, o projeto de lei vai permitir que os indocumentados presentes nos Estados Unidos desde antes de 2011 tenham até 10 anos de autorização de trabalho.

O texto aprovado pela Câmara oferece uma espécie de dispensa às leis de imigração, usando um processo conhecido como liberdade condicional para permitir que as pessoas permaneçam no país por cinco anos com a opção de estender por mais cinco anos depois.

De acordo com uma análise do Congressional Budget Office (CBO), mais de 6,5 milhões de imigrantes podem se beneficiar com a medida. Deste grupo, 3 milhões se tornariam elegíveis para ir da condição de liberdade condicional para a residência permanente legal, o primeiro passo em direção à cidadania.

O texto que beneficia imigrantes ainda estão distantes da meta inicial dos democratas, que desejam fornecer um caminho para cidade para 11 milhões de indocumentados. 

A Rep. Veronica Escobar (D-Texas) lamentou que o pacote tenha sido reduzido a proteções por meio de uma década de autorização de trabalho.

“Embora isso seja absolutamente inadequado, temos que cruzar a linha do gol. Isso daria a capacidade de tantas dessas pessoas incríveis conseguirem trabalhar todos os dias sem medo de retaliação e viver sem medo de deportação. E, de fato, para milhões deles, isso lhes daria um passo importante para estabilizar sua situação ”, disse ela a repórteres do The Hill na quinta-feira.

O projeto de lei também inclui a recaptura do visto, evitando a perda de cerca de 222.000 vistos familiares não utilizados e 157.000 vistos trabalhistas que expirariam no final do último ano fiscal. A mudança ajudará a manter os caminhos da imigração para aqueles que costumam esperar anos para imigrar para os EUA.

Subscribe to our Newsletter.